Isca Artificial, como funciona?

O uso da isca artificial na pesca moderna foi impulsionado pelas empresas Americanas Heddon e Pflueger no principio do século XX mas foi principalmente o pescador Finlandês Lauri Rapala que lhe trouxe mais notoriedade. Este tinha dificuldade em obter iscas naturais e observando o comportamento dos peixes (reparou que os peixes maiores comiam os peixes mais pequenos e principalmente se eles estivessem feridos ou doentes) resolveu esculpir um peixe num bocado de cortiça (à qual associou anzóis) e quando recuperado fazia lembrar um peixe ferido. Teve tanto sucesso que o seu invento despertou interesse em outros pescadores que encomendaram modelos iguais aos que usava dando inicio a uma indústria de iscas artificiais que tem nos Estados Unidos da América o seu maior mercado.
A pesca com isca artificial normalmente é muito mais dinâmica e técnica que a praticada com iscas naturais devido ao trabalho constante em movimentar a isca para provocar a presa e talvez esta forma menos passiva seja a chave do sucesso: nesta 'provocação' exploramos para além do tradicional apetite, o domínio territorial, o instinto predatório, a irritabilidade e até a curiosidade.
Existe uma extraordinária diversidade de iscas artificiais no mercado (construídos numa multiplicidade de materiais e de funções) e a sua escolha vai depender da espécie que pretendemos capturar e da geografia do local. Convêm referir que a tipologia abaixo referida não é rígida porque existem artigos híbridos e igualmente aparecem constantemente modelos que incorporam materiais e tecnologias inovadoras que misturam várias características. Por exemplo, existem modelos de borracha que contêm no seu interior chumbo (o que permite efetuar arremessos mais longe) e quando tracionados trabalham perto da superfície da água ao contrário das habituais amostras em borracha.
Temos também que ter presente que o seu sucesso depende da correta utilização da técnica de movimento associada a determinado isca artificial. Um jerkbait como o próprio nome indica tem que ser movimentado com pequenos esticões e algumas técnicas é necessário até associar à linha uma chumbada ou mesmo uma bóia de água para produzir um movimento da isca que imite melhor um peixe de verdade, Abaixo algumas variações de iscas atificiais:

  • Iscas de Profundidade / Jigs
  • Iscas Rígidas / Plugs
  • Iscas Moles / Soft Lures
  • Plumas, Chucas / Flys
  • Iscos Metálicos / spinners
  • Miçangas / Beads

Vale ressaltar que o pesqueiro é o habitat dos peixes que alí residem e apesar de serem alimentados, o instinto do animal sempre fala mais alto. Converse com os responsáveis do local e se for autorizado, experimente... tenho certeza que você não vai se arrepender.

Fonte:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Isca_artificial

0 comentários:

Postar um comentário